Fiz. Faço. Farei.

sábado, 25 de março de 2017

viver junto é isto.

Ligar ao dito-cujo e pedir que se deixe estar no café com os colegas porque eu ando a fazer limpeza e não quero que ele chegue a casa sem eu ter tudo limpo e arrumado.

sexta-feira, 24 de março de 2017

Coisas boas da televisão

Vocês já sabem que eu adoro cozinhar. E como não podia deixar de ser, também gosto imenso de ver programas de culinária e de gastronomia.
Desde que tenho o 24 Kitchen em casa que o meu passatempo é ver os programas que por lá passam. Há dois que são particularmente especiais e cujas apresentadoras são mulheres que me inspiram muito.


Por um lado temos a Filipa Gomes, uma moça com um estilo pin-up e muito simpática. Tem receitas variadas, das mais tradicionais às mais radicais, passando por pratos de outros países e de várias zonas de Portugal. Gosto dela pelo ar 'despreocupado' com que faz as comidas, do género "esta receita leva morangos mas podem optar por pêssego, maçã ou que vocês bem entenderem!". Ela é jovem, é fresca, dá ideias brutais e muitos conselhos. Já fiz várias receitas dela e a próxima, que estou desejosa de fazer, é a de amêijoas à Bolhão Pato. Nhaaaam.


A Cátia Goarmon, mais conhecida como Tia Cátia, apresenta os seus segredos tanto na cozinha como no atelier. Este pormenor dela se dedicar aos trabalhos manuais e conjugar isso com um programa de culinária é que me faz o coração palpitar. A Cátia é assim a mulher que eu gostaria de ser quando for grande. Cozinha e faz trabalhos DIY, decorações e arranjos, uma delícia. Além de fazer as receitas propriamente ditas, é muito criativa, muito original, dando sempre um toque pessoal e um cunho próprio a cada prato que elabora.

Estes dois programas são o meu pequeno vício quase diário. Elas deixam-me com imensa vontade de fazer as comidas, de obter aqueles pratos deliciosos e aguçam ainda mais em mim a vontade de me dedicar à cozinha em full time. Assim na loucura, eu também gostava de ter o meu programa de culinária, o meu livro de receitas, dar workshops, abrir um restaurante e servir às pessoas todo o amor que tenho pela cozinha.

quarta-feira, 22 de março de 2017

histórias de uma estagiária #4

Famosos que eu já atendi ao balcão da farmácia:

Naide Gomes

 José Cid

João Didelet

Voos baratos para quem não tem férias

Estas promoções flash das companhias low cost são muito boas - para quem as pode aproveitar. Mas quem é a pessoa que trabalha que pode marcar assim uma viagem sem pedir férias ao patrão? Sem saber se pode folgar naqueles dias? No meu caso, em que os horários me são facultados a cada 2 meses, como saber quais os dias que tenho livres? Nem sequer posso aproveitar os fins-de-semana prolongados porque não sei se estou a trabalhar ou não. Esta era uma boa altura para marcar uns dias para ir a Madrid visitar a minha malta do Erasmus. Mas lá está, se vou pedir dias ao patrão e fico à espera da resposta, perco as promoções. Se marco já o voo corro o risco de ele me recusar os dias de folga e eu fico em terra e sem o dinheiro. Ora bolas!

segunda-feira, 20 de março de 2017

welcome spring

Quero receber a Primavera de braços abertos. Já sei que vai começar de forma invernosa, com frio e chuva nos próximos dias, mas espero que depois se instale definitivamente. Acho que já vos disse por aqui algumas vezes - eu adoro esta estação. E por isso aguardo ansiosamente por tudo o que ela traz de bom.






domingo, 19 de março de 2017

vou contar-vos um segredinho

Ando a fazer um pé de meia [verdadeiro, com direito a meia e tudo!]  para fazer uma viagem a... Marrocos. Não vou visitar a minha tia, como diz a música, mas quero muito visitar as cidades principais, o património, os souks e as riads, as dunas e os acampamentos berbere e bem, tudo em geral. Não sei se vou ter férias este ano mas até lá... o pé de meia vai crescendo.

quinta-feira, 16 de março de 2017

Sobre ter de estudar para toda a vida

Eu sabia que, como farmacêutica, a fase de estudar não se limitava só ao tempo de faculdade. É óbvio que uma área da saúde na qual, todos os dias, há notícias e informações novas, é obrigatório estar actualizado e conhecer as descobertas científicas. Mas além do que aparece de novo, é bem mais importante ter presente tudo o que aprendemos nas aulas e aquilo que já está mais do que batido.
Sempre que tenho uma dúvida ao balcão, acedo imediatamente ao RCM (Resumo das Características do Medicamento) ou a sites da minha confiança e fico logo a saber o que quero. Mas sinto que há coisas que devia saber mais. E melhor. E que deviam estar mais interiorizadas. Sobre o que me surge todos os dias sei o essencial - que é fruto da rotina, de lidar com aquilo imensas vezes. Mas se alguém faz uma pergunta mais complexa, já fico ali confusa, sem absoluta certeza de ser como penso. Mais vale ir confirmar e com os softwares e a internet sempre ali à mão, é fácil e intuitivo fazer consulta e rapidamente tenho a resposta para dar à pessoa.
Mas sinto falta de estudar. Sinto falta de me dedicar, na verdadeira acepção da palavra, ao estudo. De tirar apontamentos, fazer resumos, esquemas, fixar as coisas à minha maneira e de forma a sabê-las daqui a uns anos. Agora não há a pressão dos exames, não há horários a cumprir, se não tiver vontade posso ficar quieta, nem tão pouco estou a ser avaliada. Acho que isto só pode trazer um estudo mais produtivo e rentável. Nos próximos tempos quero abdicar de perder tempo com coisas desinteressantes e estudar. É certo que agora tenho uma casa por minha conta, que tenho limpezas para fazer, roupas para lavar e estender e engomar, compras para fazer, and so on, mas também ocupo-me muito a fazer nada e é nesses intervalos que quero aproveitar para me instruir, para continuar a minha formação, para aprender, para relembrar o que já soube e esqueci, para ser mais e melhor profissional.

quarta-feira, 15 de março de 2017

Minha yämmiguita!

Nunca vos contei que tinha uma yämmi, pois não? É verdade! Foi um presente que me ofereceram e é uma grande companheira cá de casa.
Vocês sabem, eu ADORO cozinhar. Se me fosse possível, era sempre eu a tratar das refeições, mas como trabalho até tarde e o dito-cujo chega a casa primeiro, é ele quem faz o jantar. Claro que ele e a máquina são os melhores amigos e confesso que saem verdadeiros petiscos.
É claro que ter um robot de cozinha é uma grande ajuda. Despacha muito bem a comida, poupa imenso tempo, suja-se menos loiça e... voilá, faz coisinhas maravilhosas. Estou a lembrar-me do puré de batata que é di-vi-nal. Do bacalhau espiritual e da lasanha deliciosos. Do néctar de laranja, manga e cenoura. Da cremosidade do bolo de cenoura com ganache de chocolate. É caso para dizer YÄMMI!

Maravilhas do supermercado #5

O gel de banho da marca Revlon. Há várias fragrâncias, eu já usei algumas, e só apetece comer. Costumo comprar no Pingo Doce mas no Continente também sei que há.

terça-feira, 14 de março de 2017

A felicidade de vir ao blogue...

... e ter comentários por aprovar de duas meninas que, blogosfericamente falando, adoro e de quem tinha saudades. Jude, tão bom estares de volta. M♥, obrigada por me procurares.

Também quero e espero conseguir vir aqui mais vezes. Durante os meses de Janeiro e Fevereiro passaram-se várias coisas na minha vida que me impediram de actualizar este canto. Mas tenho vontade de regressar.