Fiz. Faço. Farei.

quinta-feira, 16 de março de 2017

Sobre ter de estudar para toda a vida

Eu sabia que, como farmacêutica, a fase de estudar não se limitava só ao tempo de faculdade. É óbvio que uma área da saúde na qual, todos os dias, há notícias e informações novas, é obrigatório estar actualizado e conhecer as descobertas científicas. Mas além do que aparece de novo, é bem mais importante ter presente tudo o que aprendemos nas aulas e aquilo que já está mais do que batido.
Sempre que tenho uma dúvida ao balcão, acedo imediatamente ao RCM (Resumo das Características do Medicamento) ou a sites da minha confiança e fico logo a saber o que quero. Mas sinto que há coisas que devia saber mais. E melhor. E que deviam estar mais interiorizadas. Sobre o que me surge todos os dias sei o essencial - que é fruto da rotina, de lidar com aquilo imensas vezes. Mas se alguém faz uma pergunta mais complexa, já fico ali confusa, sem absoluta certeza de ser como penso. Mais vale ir confirmar e com os softwares e a internet sempre ali à mão, é fácil e intuitivo fazer consulta e rapidamente tenho a resposta para dar à pessoa.
Mas sinto falta de estudar. Sinto falta de me dedicar, na verdadeira acepção da palavra, ao estudo. De tirar apontamentos, fazer resumos, esquemas, fixar as coisas à minha maneira e de forma a sabê-las daqui a uns anos. Agora não há a pressão dos exames, não há horários a cumprir, se não tiver vontade posso ficar quieta, nem tão pouco estou a ser avaliada. Acho que isto só pode trazer um estudo mais produtivo e rentável. Nos próximos tempos quero abdicar de perder tempo com coisas desinteressantes e estudar. É certo que agora tenho uma casa por minha conta, que tenho limpezas para fazer, roupas para lavar e estender e engomar, compras para fazer, and so on, mas também ocupo-me muito a fazer nada e é nesses intervalos que quero aproveitar para me instruir, para continuar a minha formação, para aprender, para relembrar o que já soube e esqueci, para ser mais e melhor profissional.

1 comentário:

Janny disse...

és super dedicada, se todos os profissionais fossem assim, tudo era mais fácil!