Fiz. Faço. Farei.

domingo, 28 de agosto de 2016

dando razão a Confúcio

Quando chega a hora de ir trabalhar, nunca vou trabalhar. Eu gosto tanto das minhas colegas, do que faço e do local de trabalho, que não posso considerar que vou trabalhar. Eu é mais do género "vamos lá para a parte mais divertida do meu dia"! Já cheguei a ir trabalhar com uma enorme dor de cabeça e vir da farmácia impecável - ahh, e garanto-vos que não foi por ter tomado alguma coisa. Aquelas horas do dia passadas ali são terapêuticas.
Nunca me custa acordar, nunca me custa sair de casa e mesmo nos fins-de-semana de serviço, caso esteja a família reunida e tenha de ir trabalhar, não me ralo muito. O tempo lá passa num instante.
Os meu colegas são quem mais contribui para que tenha tanto prazer em ir trabalhar. O ambiente é tão bom, damo-nos bem, entendemo-nos, somos amigos e sobretudo divertimo-nos i-men-so. Rio-me à gargalhada, conto anedotas, "gozamos" com as gafes dos clientes, asneiramos, dançamos e cantamos, é mesmo uma diversão. Ao balcão somos sérias no conteúdo, não estamos ali a enganar ninguém, facilitamos a vida a toda a gente. Somos disponíveis e muito simpáticas. Sei que toda a gente gosta de nós e que a praça têm-nos em muito boa conta.
Se a equipa é boa, se o ambiente é óptimo, se lido bem com o público, se aprendo todos os dias, se me supero, se sou elogiada, como poderei dizer que vou trabalhar quando, afinal de contas, só vou ser feliz?

1 comentário:

joana disse...

adoro saber que estás realizada e feliz. :) beijinho grande para ti.