Fiz. Faço. Farei.

terça-feira, 14 de junho de 2016

Di - e - quê?

Há uns meses o médico disse-me que eu tinha engordado uns quase 5 quilos a uma taxa de 1 quilo por mês. Mal sabe ele que eu andei pela Espanha fora a comer tapas que nem doida. E que depois fui estagiar para uma farmácia onde é IMPOSSÍVEL estar de dieta.
Ele não me mandou fazer dieta, mas acautelou-me que tinha ganho muito peso em pouco tempo. E em sua defesa, a verdade é que eu não passava dos 58 quilos há muitos e longos anos.
Lá me conformei a perder uns quilitos, nem que fossem os suficientes para voltar aos 58. Em Novembro volto lá e quem é que o vai convencer de que a farmácia impediu a minha dieta? Passo a enumerar:
- Entre colegas trocam-se lanches. "Amanhã trazes tu o lanche, Domingo trago eu". Claro que ninguém faz um lanche partilhado de iogurtes magros, maçãs e bolachas integrais. Saem à cena pastéis da feira [gigantees!], folhados de carne, pedaços de bolo da Páscoa ou de aniversário.
- Os clientes [amorosos que só eles] oferecem-nos comida. Claro que também não nos levam broa cozida com pouco sal. São sempre bolos polvilhados com açúcar em pó, são fritos feitos na hora que ainda nos chegam quentinhos.
- Os pais das próprias colegas levam-nos comida. A última vez foram uns suspiros de comer e chorar por mais. Moles, suculentos e maravilhosamente bem caramelizados.
- Uma das minhas colegas é perita em trazer descobertas do supermercado para lanchar. E para partilhar com a malta. É granolas hipercalóricas, é queijos de barrar [e nós não barramos, não, nós passamos a tosta directamente no pacote do queijo e tá a andar], é sumos vindos sei lá de onde, é bolachas, é waffles do Lidl cheios de grãos de açúcar por dentro.
Beeem, como podem ver profetizamos ao balcão uma alimentação saudável e tretas mas lá atrás comemos desta forma. Muito amiga das dietas, não é assim?

1 comentário:

Janny disse...

faz o que eu digo, não faças o que eu faço, não é assim?