Fiz. Faço. Farei.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

É que é mesmo verdade!


Às vezes penso que na minha vida, tal como talvez nas vossas, já houve pessoas com quem me dei muito bem, amizades fortes e bonitas, amizades que achava que podiam durar sempre. Mas agora olho para trás e concluo que algumas dessas pessoas ficaram nesse mesmo sítio - lá atrás. E ainda bem!
A vida foi-me mostrando que não precisava delas, realmente. Que não era feliz [ou mais feliz] por tê-las do meu lado. E, em alguns casos, até era bem mais infeliz e sempre metida em atritos ou quezílias. Final e felizmente fui-me livrando delas, embora se nos cruzarmos ainda existe aquela conversa de circunstância, aquele "Olá, tudo bem?". Mas nada mais do que isso.
Percebi que, se é para nos metermos em jogos, em historietas e se é para andarmos sempre a entrar em conflito, mais vale cortar o mal pela raiz. Nunca me zanguei com ninguém mas fui-me dando ao silêncio e a uma distância que, hoje mais do que nunca, me é substancialmente melhor do que ter aquelas pessoas na minha vida. Se não for para ser feliz, não vale a pena insistir.

Sem comentários: