Fiz. Faço. Farei.

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Caixa de óculos

Vocês nunca tiveram aquela pancada de adolescência que era querer partir um braço para andar com o gesso todo grafitado pelos amigos? Ou partir uma perna só para poder andar de moletas e ter alguém que vos levasse o tabuleiro?
Eu acho que cheguei a desejar-me isto, coitada de mim! Mas nunca quis o [des]prazer de usar óculos, não sei porquê. Se calhar, porque já sabia que pertencer ao mundo dos pitosgas é uma grande seca. Então:
1. Primeira parte complicada é escolher a armação e o tipo de óculos. Armações em massa, armações de marca branca ou de grandes marcas, a cor, a forma, se gostamos de nos ver com este ou aquele modelo. Ufff, tarefa difícil.
2. Depois chegam os óculos já feitos à tua medida, a tua graduação e tu colocas aquilo e ainda vês pior que sem eles. Eu senti-me como se estivesse no piso superior ou como se as sapatilhas fossem de salto alto. Enquanto uma pessoa não se adapta é o cabo dos trabalhos.
3. Comer sopa, beber café ou soprar qualquer coisa quente... esquece! Instala-se um nevoeiro que não se pode.
4. Em dias de chuva é outro festival. Chove nas lentes, fica tudo pintalgado e tu sem ver nada.
5. Os óculos são novos, estão à tua medida e ainda nem sequer tiveram tempo de alargar nas hastes, mas mesmo assim passam a vida a escorregar aqueles 0,5 cm pela cana do nariz abaixo.
6. Já me disseram que é melhor não adquirir tiques. Aquela mania de querer compô-los com caretas e jeitos faciais um bocado tortuosos é capaz de ser má ideia. Mais vale mesmo subi-los com a maozinha.
7. A limpeza e a transparência que desaparecem 2 minutos depois de os limpares com spray, com o paninho e com toda a tua paciência.
8. Mais um objecto que terás de procurar na mala. A mala de uma mulher já é todo um universos de coisas perdidas e dificilmente encontráveis à primeira. Agora junta-se mais uma caixa que, para mal dos teus pecados, está sempre no canto oposto àquele onde a meteste.

Who cares? Astigmatismo e um par de óculos a marcar o meu início de 2016. Pelo menos foram-se as dores de cabeça!

Sem comentários: