Fiz. Faço. Farei.

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Tenho mesmo de ir embora?

Responsável
Sistemática
Organizada
Boa relação com os colegas
Óptima integração com o grupo
A melhor aluna de ERASMUS que passou aqui

Estas foram algumas palavras que me disseram. Cá dentro, um misto de emoção e saudade, a certeza de estar a adorar estar aqui, a amizade e carinho que sinto por estas pessoas que me acolheram, ensinaram e ajudaram em tudo o que necessitei. Nunca ninguém me recusou nada, nunca ninguém se incomodou comigo, com as minhas dúvidas ou questões. Nunca me senti gozada, nunca me senti a mais, nunca senti que preferia estar em casa. Também um misto de tristeza por saber que estou na última semana e, daqui para a frente, não sei o que me espera.
Em muito pouco tempo fiz amigos que, acho eu, são para a vida. Em muito pouco tempo, estas pessoas passaram a ocupar um lugar enorme no meu coração. E pode parecer cliché, mas a verdade é que estas experiências de intercâmbios de estudantes trazem-nos muitas, muitas coisas boas. Pessoas novas, culturas diferentes, ensinamentos, outras formas de ver o mundo, gargalhadas, lições de vida, formação profissional. Sei lá, só vivendo é que se pode descrever o que se aprende e o que se ganha.
Se vocês que estão desse lado querem viver uma experiência dessas, não desistam. Nem sempre vemos as nossas dúvidas esclarecidas, algumas vezes a parte burocrática faz-nos desesperar e querer desistir, outras vezes não temos dinheiro [e bem sei o quanto pesa esse factor...] mas há sempre uma forma, há sempre uma alternativa. Se querem mesmo, se acham que iam adorar estar fora do vosso país e estudar ou estagiar em qualquer lado, proponham-se a um programa de mobilidade. O que ganhamos é muito superior a qualquer obstáculo!
[26/10/2015]

Sem comentários: