Fiz. Faço. Farei.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

# quarenta e nove - ERASMUS UAH

Ontem passei o dia a passear em Madrid com o meu irmão. Saímos de casa cedo para aproveitar o dia ao máximo e assim foi: fomos visitar a Caixa Fórum, estivemos no Retiro e no Palácio de Cristal. Depois passámos na Porta de Alcalá, Cibeles, Sol, Mercado São Miguel, Palácio Real e Catedral de La Almudena, Templo de Debob, Praça de Espanha e Gran Vía. Ou seja, conseguimos estar nos sítios turísticos mais importantes e que, a meu ver, eram os que ele gostava mais de conhecer.
Depois chegámos a casa e eu ainda tinha uma missão: cozinhar! No estágio passaram a vida a desafiar-me a fazer alguma coisa de Portugal para eles provarem. Eu fartei-me de pensar, porque queria que fosse algo mais típico da minha zona, mas cheguei à conclusão que o que se come bem aqui é comida a sério. No que diz respeito a doces vi-me mais limitada. Mas depois lembrei-me que os famosos pastéis de nata são dos maiores ex-líbris do nosso país, com a vantagem de ser fáceis de fazer, e não pensei duas vezes.
Na Quarta, comprei tudo o que era necessário e já sabia que, na Quinta, quando chegasse a casa, ia pôr mãos à obra. Na Sexta seria a despedida e, ao menos, que fosse mais doce graças aos pastéis.
Enquanto eu preparava o molho, o meu irmão ia cortando a massa folhada e forrando as formas. Ao fim de umas 3 horas e 3 fornadas depois, tinha mais de 30 pastéis muito bonitos e um delicioso aroma a canela e limão pela casa. Só esperava que no serviço gostassem da surpresa!
[30/10/2015]

1 comentário:

Estudante disse...

Três fornadas de pastéis?! Caramba! És uma profissional :D