Fiz. Faço. Farei.

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

# trinta - ERASMUS UAH

O balanço de mais duas semanas na área "Farmacotecnia, Nutrição Artificial e Quimioterapia" é altamente positivo. Nota 20! Adorei. Adorei tudo, a começar pelas pessoas e a acabar em tudo o que tive oportunidade de ver, fazer e aprender.
Um gabinete de gente simpática, disponível, querida, atenciosa. Para mim, a farmacêutica D. é a melhor, a que mais me encanta, mas não posso deixar de referir que as residentes, a farmacêutica B., as enfermeiras (em especial a C., a T. e a M.) e as auxiliares (com destaque para a M.), também merecem o meu carinho e gratidão.
Ainda não conheço todos os sectores de trabalho da Farmácia Hospitalar mas neste sei que gostaria de trabalhar. É muito desafiante em termos científicos, é necessário muito conhecimento prático [embora os farmacêuticos não executem, são eles que elaboram as fórmulas, que fazem os cálculos e que, muitas vezes, têm de esclarecer quem vai fazer as coisas], há relativo contacto com os médicos e outros profissionais, bem como com os doentes. Além disso, estão sempre a ser requisitados por outros serviços, o telefone não se cala, a toda a hora surge uma situação ou outra diferente e que exige uma resposta rápida e uma solução eficaz.
Gostei imenso e não me vou esquecer da M., uma auxiliar cheia de vida e constantemente a meter-se com os estudantes. No meu caso, disse-me que adorava Portugal. Que tinha adorado conhecer Sintra e que a comida na Nazaré era fantástica. Aliás, toda a comida em Portugal era maravilhosa. Portanto, nas palavras dela, tudo lhe parecia bem em mim excepto o facto de gostar do Cristiano Ronaldo. AHAH, ela tinha cada uma que só mesmo uma mulher daquelas. Adorável.
Pelo caminho, contudo, há sempre uns patinhos feios - nem tudo é perfeito, certo? Havia lá uma auxiliar que era o terror. Eu não consigo sequer imaginar como é que uma mulher tão desorganizada e irresponsável pode trabalhar num sítio destes. Mas a verdade é que trabalha e, como podem prever, só faz merda. Enfim. Uma nódoa negra no meio de gente cinco estrelas.

Sem comentários: