Fiz. Faço. Farei.

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

# trinta e nove - ERASMUS UAH

Lembram-se de vos ter falado que, com o passar do tempo, comecei a conhecer melhor os meus colegas de estágio e a não achar assim taaanta piada a alguns? Acho que isso acontece com todas as pessoas. Bem, podemos nunca gostar delas mas, por norma, a mim toda a gente cai bem até que a convivência me faz perceber certas coisas.
Nesse post disse-vos que um dos colegas tinha a mania que sabia tudo, andava sempre a confirmar o que eu fazia e, além do mais, gostava imenso de me contradizer. Não sei porque raio se pegou comigo, mas tendo em conta que os outros Erasmus são rapazes e os restantes espanhóis, deve ter sido porque sou a minoria e, como elo mais fraco (?), decidiu que eu era um bom alvo.
Para minha triste sorte, que já tinha levado com ele uma vez, esta semana voltámos a estar juntos numa rotação. Perdi a conta às cenas que me fez. Eu tento acreditar que não é por maldade, mas ao mesmo tempo não vejo que faça o mesmo a outras pessoas, logo só me resta acreditar que não gosta mesmo de mim e que faz o que faz para me pôr mal ou me fazer sentir burra. Vejamos:
* Fecha-me as portas na cara. Sai ou entra, sabe que eu fico para trás, pois fecha a porta como se não viesse ninguém, mas assim muito em modo subtil, a achar que eu não percebo.
* Faz comentários do género "Não te metas com os espanhóis, han!!!". Não em sentido de um relacionamento, ele quer que eu não comente sobre eles. Ah, devo dizer-vos que ele não é de cá mas chegou jovem e por aqui vive há muitos anos.
* Passa a vida a contradizer-me e a negar todas as afirmações que eu faço. Eu posso estar a ler uma informação num livro científico e a reproduzir, pois ele abana a cabeça com os lábios torcidos e "não... não é nada disso".
* Adora chamar-me nomes. Há dias eu estava a jogar Candy Crush no telemóvel, com uns livros abertos debaixo dos braços. Perguntou-me o que eu estava a ler e eu disse que nada. Saltou-lhe um "MENTIROSA" muito bem dito, com todas as letras. E eu ri-me e disse "estou a jogar meu caro, não estou a ler". Uma colega quase falou por cima de mim e disse "ela está a jogar". E ele voltou à carga, quase excitado de me voltar a chamar "mentirosa!!!".
* Tem que levar a sua avante sempre que há coisas para fazer. Esta semana foi com uma tabela. Somos três pessoas, eu e a outra concordámos em fazê-la de uma forma. E ele disse que não, que era melhor da forma que ele queria. Pois meteu-se noutro computador e fez sozinho, à maneira dele.

Às vezes penso que no mundo do trabalho me espera muita coisa. Há pessoas realmente boas, com quem te dás bem e te entendes na perfeição. Felizmente eu acho que são a maioria. E mesmo quando discordam, podem resolver as divergências de uma forma saudável e produtiva, para que fiquem as duas bem e o problema resolvido.
Mas em contrapartida, as pessoas que sobram são do piorio. E eu acho que não estou nada, nada preparada para lidar com esta gente no mundo do trabalho. Por agora relativizo, digo para mim "só me falta xis tempo", "não me vou chatear por xis semanas". Nunca falo, deixo andar e penso que não vale a pena armar bronca ou criar mau ambiente. Mas um dia, quando a coisa for mais séria e levar com alguém insuportável, mesquinho, mentiroso, whatever... não sei como sair dessa. Não tenho armas, sou fraca, não estou treinada para discutir, para sair da casca, para me defender.

1 comentário:

FME disse...

Credo que idiota. Há com cada pessoínha... Enfim! Boa sorte com esse totó.