Fiz. Faço. Farei.

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

# trinta e cinco - ERASMUS UAH

Ontem foi dia de ir a Madrid. Saí do estágio, almocei num instante e fui para o comboio. Tinha pressa de chegar ao Palácio Real porque a entrada até às 17h é gratuita. Só que não consegui chegar a tempo: até Madrid, tenho de apanhar um comboio e depois trocar até uma estação mais central. E neste caso, ainda tive de apanhar um metro. Acontece que, no meio de tantos transportes, lá se foram as 17h.
Contudo, fui visitar a Catedral de La Almudena, que é absolutamente magnífica. É a maior onde já entrei, acho eu. E eu sou fascinada por vitrais e tectos pintados, o que neste edifício existe muito. Vale mesmo a pena, e ainda por cima não se paga nada para entrar.
Depois aproveitei e fui visitar a Cripta. Eu não sabia o que era uma cripta... estupidamente até pensava que era uma torre ou algo assim, suponho que confundindo com cúpula. Mas uma cripta é um lugar, geralmente subterrâneo e muito comum em igrejas, onde se sepultam mortos e relíquias religiosas. Gostei de estar ali, mas é um sítio estranho e pesado, apesar da decoração, das pinturas e dos altares que são brutais.
Para acabar a minha tour, fui visitar o Museu do Prado. Enfrentei uma fila com mais de 150 pessoas, seguramente. Mas andava muito rápido, não demorou muito tempo até entrarmos. O Prado é gigante, gigante, gigante. Há tantos quadros que cheguei ao fim com ardor nos olhos e dor de cabeça. Foi curioso ver de perto os quadros dos quais me recordo dos livros de História. Lembro-me de algumas obras e também de alguns pintores e foram mais esses que tentei procurar e observar.
Assim passei a minha tarde, tendo já chegado a casa de noite. Agora tenho de voltar porque quero mesmo ir ao Palácio Real.

1 comentário:

FME disse...

Madrid está na minha lista de destinos :)