Fiz. Faço. Farei.

quinta-feira, 18 de junho de 2015

2004 - 2010

Acabei de ver um álbum de fotos da cerimónia de tomada de posse do CG da minha escola. O liceu foi e sempre será a minha escola.
Ao ver aquelas fotografias, onde figuram sobretudo professores, bate uma saudade gigante. Alguns deles são-me estranhos, outros lembro-me deles mas nunca chegaram a dar-me aulas. Outros, esses sim, fizeram parte da minha vida. O professor A.C. foi o que mais acompanhou o meu percurso, pois apanhou-me no 7º ano e foi sempre meu professor até ao 12º ano. À professora I., que embora me tenha acompanhado só 2 anos, devo-lhe o gosto pela leitura e, sobretudo, a capacidade de escrita, sem erros nem desvios de semântica. A professora G., directora de turma no 10º e 11º, que chorou quando se despediu de nós no último dia de aulas.
Mas todos eram nossos amigos. Eles acarinhavam-nos, ajudavam-nos, faziam-nos rir, fizeram-nos crescer. Se sou a pessoa que sou, devo-o também a muitos dos meus professores. Sinto que a Escola foi um sítio onde cresci imenso: como mulher, como cidadã, como profissional. Cresci com as amizades, cresci com as zangas e discussões, cresci com as paixões de adolescência, cresci com as reuniões de pessoas grandes onde eu ia porque era a representante dos alunos no CP, cresci com as funcionárias que passavam a vida a mandar vir connosco. Cresci com as tardes nas bancadas do campo, com os lanches de Sexta com o professor A., o quarentão giraço que nos deixava de beiço caído. Cresci com os trabalhos de grupo, com as brincadeiras e loucuras do polivalente, que tanto mas tanto me fizeram rir e ser feliz.
A escola não era o melhor edifício que podíamos ter. Não era nova nem particularmente bonita, não era aconchegante nem confortável. Mas era lá que eu gostava de estar e foi lá que passei momentos muito bons da minha vida. Tenho tantas saudades que era capaz de voltar...

Sem comentários: