Fiz. Faço. Farei.

sábado, 26 de julho de 2014

Dizer obrigada, nem que repita mil vezes, é pouco.

Pois que ontem fui fazer aquele exame sobre o qual tenho vindo a escrever alguns posts deprimentes. Sim, porque eu tinha aquela cadeira em atraso... desde há vários anos [e mais não digo!]. Espero que nunca tenham experimentado esta sensação de ter uma cadeira em atraso: a logística de a conseguir encaixar no horário, ano após ano; a presença obrigatória nas aulas práticas, mesmo que saias de lá sem saber nada; não conheceres absolutamente ninguém que te possa facultar apontamentos ou aulas teóricas; estares completamente em branco na matéria porque não consegues ir às teóricas. Enfim, um sem número de obstáculos, já para não falar que estar em ano de Mestrado e ter uma cadeira de Licenciatura para fazer é coisa para te impedir de fazer estágios, é coisa para te pôr atrás dos outros colegas todos quando se candidatam a alguma actividade no curso. Bem, eu sentia que nunca ia acabar o curso por causa desta cadeira. Acreditem, é uma frustração tão grande... E uma revolta, porque em quatro anos de curso eu nunca precisei de saber nem aplicar nada, absolutamente nada, do que aquela cadeira me ensinou (?).
Tive direito à época especial mas, depois de acabar o recurso, senti-me de férias. Eu contei-vos que me sentia com vontade de tudo menos de estudar. Ainda para mais com a agravante de não ter ponta por onde pegar, sem ter ninguém que me ajudasse, que me explicasse as coisas. Estava a arranjar maneira de, mais uma vez, deixar a cadeira em atraso.
Fui ao exame com o estudo de uma semana, com muitas dúvidas, muitas coisas até decoradas. Ainda pensei duas vezes porque ia gastar dinheiro, tinha de acordar cedo, ia perder o meu tempo, não ia conseguir... aquelas "desculpas" que nós arranjamos quando sabemos que não estamos minimamente preparadas. Mas bolas, também não queria desistir assim, sem sequer tentar. E se o exame fosse fácil? E se eu, com o que soubesse, conseguisse safar-me? E se nesse dia tivesse uma inspiração divina a torcer por mim? Assim como assim, não perdia nada. Lá fui eu e ainda encontrei uns colegas mais velhos. É terrível, não é? Tenho raiva daquele professor, juro-vos. Todo o dia lhe roguei pragas, especialmente quando vi ali aquelas pessoas que não podem procurar um emprego porque têm uma cadeira inútil em atraso! Lá fiz o meu exame, com o que sabia e com o que inventei.
Cheguei a casa, fui ao Facebook e ao e-mail. E eis senão quando tenho uma notificação da UC, relativa à pauta do exame. Oi? Isto é alguma brincadeira? Será que o computador tem vírus e me anda a enviar e-mails falsos e, ainda por cima, de carácter tão sério? Vamos lá ver o que isto é: "Obteve a nota 10 à unidade curricular". Como?! Tive dez, é isso? No exame que fiz há... 3 horas? O professor está, certamente, a gozar com a minha cara... Abro o inforestudante, acedo às pautas e era mesmo isso: um 10, ali à direita do meu nome. Quer dizer que estou licenciada, finalmente? Que já posso estagiar, que já estou livre desta cruz que tanto me pesou durante estes quatro anos?
Hoje voltei ao e-mail e voltei ao inforestudante. Ainda lá está o dito 10. Caramba, então é porque é mesmo a sério! É porque, FINALMENTE, aquela cadeira saiu da minha vida e nunca mais me vai matar a cabeça. É porque posso agradecer a todos os santos e estrelas do céu esta bênção que me aconteceu ontem. É porque alguma luz me iluminou, é porque vale mesmo a pena tentar, é porque desistir antes do tempo é um grande erro que eu, felizmente, não cometi. Estive perto, mas fui mais forte do que a tristeza, do que a raiva, do que o problema e por isso é que o venci.
Posso não ter aprendido com a disciplina mas retirei daqui uma grande ensinamento para o resto do curso e para o resto da vida. Afinal de contas é mesmo verdade que nunca se deve desistir antes de tentar. Nunca sabemos quando o vento sopra a nosso favor e nos ajuda a velejar o barco. Estou muito feliz e muito grata. Mas dizer obrigada, nem que repita mil vezes, é mesmo muito pouco.

4 comentários:

Anónimo disse...

Muitos parabéns! :D

(por muito maus que os professores sejam, eles costumam ser especialmente benevolentes nos exames especiais. :P)

Margot disse...

boa :) que alívio!

Ju. disse...

Que booom! Parabéns!
Beijinho*

м♥ disse...

está feito!!