Fiz. Faço. Farei.

terça-feira, 22 de abril de 2014

Quando voltar custa

Admiro muito aqueles casais que conseguem viver juntos muitos e muitos anos. Como é que aguentam a mesma pessoa, com todos os seus defeitos e desvirtudes, mais de dez, vinte, às vezes cinquenta anos?! Isto dá que pensar, muito sinceramente.
Ora, toco neste assunto porque eu não vivo nem há três anos com as minhas colegas de residência e algumas já nem as posso suportar. Ultimamente tem-se sentido um mau ambiente, um certo atrito que eu, a bem dizer, não sei qual a sua razão de ser. Acho que as pessoas se fartam, deve ser isso.
Se quiser explicar porque é que estou cansada e farta da minha roomie, até encontro motivos e, a meu ver, bem válidos: borrifa-se para a limpeza e arrumação do nosso espaço, tirar o lixo não é com ela mas bater portas e gavetas enquanto eu estou a dormir já é. Dorme a manhã toda e depois pede-me os apontamentos das aulas a que falta - eu ando a trabalhar para ela! Durante as férias vim a casa de surpresa, tinha o meu lado todo ocupado com coisas, inclusive havia umas sandálias dela em cima da minha estante de livros. Se calhar tenho mais do que razões para estar pelos cabelos com ela. Praticamente já não lhe passo confiança nenhuma pois começo a achar que a confiança que lhe dou é que está a resultar neste abuso.
Adiante. A minha amiga (?) mais próxima, mais confidente, mais irmã, praticamente não me passa confiança. Já antes de irmos de férias começou a ficar estranha, a não aparecer no meu quarto, mal a via durante o dia e, o pouco que me cruzava com ela na cozinha, ela fugia a sete pés. Reparei que me evitou um bom par de dias. A certa altura até lhe perguntei se estava tudo bem, até confessei que achei que tivesse feito alguma coisa... Disse-me que não e que estava tudo bem. No dia que fui de férias ela tinha de sair. Sabia que eu estava a fazer as minhas malas e desapareceu antes de eu ir embora, sem sequer me dizer nada. Eu procurei-a para me despedir e ela já tinha saído de casa. Então resolvi que não lhe ia falar as férias todas, até que ela decide telefonar-me no Sábado. Foi uma conversa normal, como se nada se andasse a passar. Achei que tinha sido só uma fase menos boa, provavelmente estávamos as duas a precisar de férias e não era situação para dar importância.
Hoje regressei. Depois destes dias em casa, depois de nos habituarmos a dormir até mais tarde e depois destes dias de regabofe, tudo o que menos apetece é voltar à rotina. Mas bom, já que tem que ser, vamos tornar isto mais fácil. Eis senão quando a minha amiga, que já passou por mim hoje três vezes, ainda não veio ter comigo nunca. Nós não nos cruzámos, não passámos uma pela outra: o que aconteceu foi que eu estava em determinado sítio e vi, ao longe, que ela se aproximava. Sempre aprendi [e é assim que me comporto] que quem chega é que cumprimenta, certo? Pois que ela passou ao meu lado e nunca se dirigiu a mim. Ainda agora, por exemplo, passou na sala de estudo, onde eu estou a trabalhar, e não veio ter comigo. Era o que fazia outra altura qualquer, especialmente tendo em conta que não nos vimos desde há uns dias.
Sinceramente, não percebo o que se passa. Podia tentar ignorar e agir como se nada fosse mas a verdade é que tenho o meu orgulho. E eu já fiz a minha parte naquela altura em que a senti distante e estranha, quando perguntei se se passava alguma coisa com ela ou se lhe tinha feito alguma coisa que a tivesse entristecido ou magoado. Ela disse que não, duvido que estivesse a mentir. Por isso começo a achar que, simplesmente, está farta de mim e prefere evitar-me do que tentar resolver este atrito. Claro que isto me incomoda e afecta.
E quando vimos de casa, do colo e do carinho da família e namorado, para encarar uma colega de quarto porca e desrespeitadora e, ainda por cima, uma amiga que se anda a armar em parva, a vontade que dá é mandar tudo à merda e regressar outra vez a casa, que lá é que nos sentimos bem.

1 comentário:

Anónimo disse...

Relativamente à parte das tuas colegas de quarto, acho que estás farta delas porque não as amas como (alguns) casais de 30 ou mais anos de casado se amam. xD

Quanto à tua "amiga", se não fizeste nada de errado, poderão ser ciúmes de qualquer coisa...não sei.