Fiz. Faço. Farei.

sábado, 22 de março de 2014

Cresce e desaparece.

Se há coisa que me esfrangalha os nervos é ferirem o meu ego de estudante de Coimbra. Eu respeito pessoas que não gostam de Coimbra, que não estudam lá e preferem as suas academias e que digam que em Coimbra há praxes abusivas [onde é que não há praxe abusiva?].
Mas metem-me nojo algumas pessoas que vão estudar para a Universidade de Coimbra, por transferência de certas escolas do país, e falam mal da instituição que as acolhe. Se a UC é assim tão má porque é que a escolheram? Ficassem onde estavam!
Afirmam que têm um grande orgulho no curso de onde vieram e dizem que lá é que as praxes eram fixes. Então o que é que foram fazer para a UC? E porque é que ainda lá estão? Se de onde vieram é que é tudo bom, então desapareçam!
É muito lindo ir estudar para Coimbra depois de ter passado um ou dois anos numa escola qualquer e depois dizer mal e humilhar a academia que vos recebeu. Mereciam ficar de quatro, de joelhos no chão e calças arregaçadas. Debaixo de sol ou de chuva, de preferência. É! Sabem que lá em Coimbra há pessoas capazes disso e muito mais! Então quando usam traje vocês nem fazem ideia dos monstros que estão perante vós. Somos horríveis. Sabem que mais? Fujam de nós.