Fiz. Faço. Farei.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

AQUELA amiga

Não sou muito iludida quanto às minhas amizades. Com o tempo e com alguma experiência de vida, tenho aprendido a [re]conhecer quem são, verdadeiramente, os meus amigos. E, ainda assim, guardo sempre algumas reservas. Já dizia a minha avó, "não se pode confiar nem no botão das calças, que se ele cai nós ficamos com as calças ao fundo das pernas!".
Apesar de tudo há uma pessoa que, não sendo uma amiga de há muitos anos, é como se fossemos quase irmãs. Talvez seja a única pessoa com quem sinta isto mesmo - sentimento de irmãs.
Somos parecidas em muita coisa e, mais do que isso, complementamo-nos. Tudo o que me falta, ela tem. E vice-versa. Confidenciamos imenso, trocamos histórias sem fim, identificamo-nos em tudo e nunca tivemos nenhum arrufo grave porque, eu acho, nos compreendemos e aceitamos como somos.
Esta é daquelas que, sem reservas nenhumas, eu guardarei para a vida. Porque embora acredite que nada dure para sempre, há sempre uma coisa ou outra que vale mesmo a pena que nunca acabe.


1 comentário:

Janny disse...

essa do botão das calças nunca tinha ouvido, mas tá muito bem visto ahah