Fiz. Faço. Farei.

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

boa alimentação, saúde no coração

Por não ser gulosa [mesmo nada!], é raro comer doces. Como muitos legumes, de todas as cores, formas e feitios. Intercalo refeições de peixe com refeições de carne. É raro fazer fritos. De forma geral, sempre achei que tinha uma alimentação saudável.
No entanto, nos últimos tempos, tenho avaliado mais aquilo que como e, para ser sincera, se calhar não sou assim tão saudável quanto penso que sou. Senão vejamos:
- Abuso no sal: pergunto às minhas colegas se salgo a comida e elas não notam. No entanto, eu própria sinto que ponho muito sal e, muitas vezes, além do resto dos temperos, ainda junto um caldo.
- Abuso nos ovos: esta semana já comi quatro. Um cozido, no início da semana, e três ontem, na omelete de fiambre que fiz ao lanche. Um exagero, eu sei. Mas os ovos são aquela perdição à qual não consigo fugir. Há quem compre uma barra de chocolate para ter durante a semana e devora-a entre o supermercado e a casa...
- Não como fruta: quero dizer, vou comendo. A escolha é pouca e eu já sou esquisita. Agora no Outono é pior ainda, porque só gosto de clementinas, romãs e quivis.
Para além deste erros na alimentação, cometo outro grande pecado: não faço qualquer tipo de exercício físico. Um erro do tamanho do Mundo, o qual sinto vergonha de assumir. Um momento em que se profetiza cada vez mais a importância da actividade física, os benefícios que isso traz para a mente e para o corpo... e eu com o rabo quase quadrado. Já não me lembro de suar como no 12º, quando fazia aulas de Educação Física. Já lá vão quatro anos!!!
Bem, mas tudo isto me veio hoje à mente porque me ando a sentir mal do coração. É verdade! Principalmente após as refeições, sinto um aperto enorme no peito, uma sensação de que me estão a estrangular o coração, de que a qualquer momento me vai dar um ataque e passar desta para melhor. Como isto se tem repetido [e eu ando cheia de medo], já marquei uma consulta na Cardiologia. Espero que não se passe nada, mas só depois de fazer uns exames é que se pode saber. É que, a bem pensar, a minha família paterna tem um grande historial de doença cardíaca. E isto ainda agrava mais a minha condição de saúde, apesar dos meus tenros 21 anos.
Quero mudar de hábitos. Quero e preciso, que é bem diferente. Vou começar por traçar um plano de refeições semanais, nada de muito exaustivo, só para poder controlar mais aquilo que como. Incluir mais verduras, mais peixe e menos carne, menos pão, gorduras e charcutarias. Reduzir os hidratos à noite e quando der a fome após o jantar, fazer uma refeição leve. Beber mais água durante o dia. Comer mais fruta e menos ovos.
Quanto à actividade física... eu sei que tudo depende da minha força de vontade. Portanto, é apenas uma questão de decidir o que fazer, como fazer e com quem fazer - sim, porque ter companhia torna tudo mais interessante! Coimbra é grande e o que não faltam são opções. O que falta é mesmo motivação e nada melhor que Novembro para começar a saga.

Sem comentários: