Fiz. Faço. Farei.

sábado, 10 de agosto de 2013

Amiga era eu

Com a distância cada vez maior entre mim e os meus "amigos", com o afastamento e o mau ambiente que se tem vindo a criar [e esta história já tem largos meses], chego à conclusão que amiga era eu. Eu é que estou mal com esta história, embora de consciência tranquila, mas eu é que estou a sofrer com o estado das coisas. Desperdiço muito tempo e energia a pensar no que se têm passado, choro e revolto-me com as atitudes deles [ou falta delas]. Percebo agora, com uma lucidez cada vez maior, que tudo durou apenas enquanto lhes fui útil. Neste momento, sofro eu para um lado, enquanto eles, que agora já não precisam de mim para nada, vivem a vida deles despreocupados e sem a mínima consideração por mim. Na volta, há que pensar que foi melhor assim. Com o que tenho visto da parte deles, começo também a achar que não são amigos assim que quero ter para a vida. Se bem que isso já não existe. Tudo passa...

Sem comentários: