Fiz. Faço. Farei.

terça-feira, 13 de agosto de 2013

A relação pai e filha

Ontem um primo meu, já casado e com um casal de filhos, disse-me que quando a filha começasse a namorar lhe ia custar muito. Tudo começou quando um outro tio falou do dito-cujo e, no decorrer da conversa, alguém perguntou ao meu pai "então o teu futuro, o namorado da tua filha, tem boa adega ou quê?" e o meu pai respondeu "ela tem namorado?". Ficaram todos a olhar, meio surpreendidos e com cara de caso. Eu torci o nariz e franzi o sobrolho, numa de descontente com a "piadinha", o que deu o mote para o tal diálogo com o meu primo. Disse-me aquilo e até gesticulou, batendo forte com a mão no peito, dando a entender que, quando acontecesse, ia ser uma facada para ele. Perguntei qual a razão de tal sentimento, ao que ele me responde:
- É difícil, tu não percebes. Ela só tem 7 anos mas, quando penso nisso, até fico doente. E quando ela tiver a tua idade vai ser um problema. Quando for o irmão, não, mas quando for ela... Ai vai custar e muito!
- Mas qual é o mal de namorar? Eu não entendo mesmo... Tu também já não namoraste? - perguntei eu.
- Mas é diferente, não é a mesma coisa. Ela é minha filha! Eu espero que tu tenhas filhos e quando eles crescerem, se um dia me lembrar desta conversa, pergunto-te como é que são as coisas.
Tudo bem. Até compreendo porque eu não sou mãe e, no entanto, sou um bocado galinha com estas coisas dos namoros relativamente ao meu irmão, que tem 16 anos. Mas bolas, isto não faz parte do crescimento e desenvolvimento das pessoas? Não é normal descobrir estes sentimentos? É diferente quando são os nossos filhos, mas aí há que retornar ao passado e pensar como era quando tínhamos aquela idade.
Os tempos eram outros mas os meus pais conheceram-se muito novos: a minha mãe começou a namorar com 16 anos [eu, com essa idade, ainda nem saía à noite!]. Os meus avós não gostavam dela e o meu pai até saiu de casa porque se zangou com o meu avó!
Eu tenho 21 anos e sempre fui uma santinha. Eu não sei o que é sair de casa a meio da noite, por uma janela, às escondidas dos meus pais. Eu não sei o que é andar com os amigos sem os meus pais saberem. Eu não sei o que é ir a uma festa ou ir dormir a casa de uma amiga sem pedir autorização ao meu pai. Nos dias de hoje, claro que já faço muitas coisas sem pedir. Mas, pelo menos, informo e, se vir que a ideia não lhe agrada, fico logo de pé atrás e desisto de ir. Nunca o contrariei ou desobedeci nem sequer lhe fiz frente, mesmo não tendo concordado com muitas decisões dele. Basicamente, posso dizer que sou a filha certinha e cujos pais se podem orgulhar de dizer que nunca fiz nada que os envergonhasse.
Quanto a namorados... Bem, o meu pai nunca se mostrou contra o meu namoro, nunca me proibiu de fazer nada com o dito-cujo nem disse nada que, efectivamente, desse a entender que não gostava dele. Mas quando faz o tipo de comentários como o que fez ontem deixa-me a pensar. Às vezes não sei se ele gosta muito dele. Já ouvi, várias vezes, comentários que desgosto mas, normalmente, são sempre em ambientes de festa familiares. A verdade é que só diz estas coisas quando está com os meus tios e com os meus primos mais velhos. Fora disso, nunca o ouvi dizer nada de mal. Não sei se deva pensar que isto é apenas aquele ciúme de pai, que é somente por ser galinha ou se é mais do que isso. Mas mesmo que seja, não entendo quais os motivos. É para impor respeito? É para dar a entender que eu sou dele e não sou de mais ninguém?
O meu pai é caçador. Como é de prever, qualquer assunto sobre o namorado, mete "caçadeiras e mato à porta", "uma chumbada numa perna só para assustar", etc e tal. O que é isto? Comentários de pais que, apesar disto, só querem o melhor para as suas filhas? Ou custa-lhes mesmo saber que as suas meninas namoram? Sabem aqueles cartoons que ilustram o que pensam os nossos pais quando estamos com o namorado? Será que o meu pai é desses que pensa que, quando saio para namorar, vou-me enfiar num sítio qualquer a fazer sexo? Será que ele pensa que o meu namorado só se quer aproveitar de mim, abrir-me as pernas e depois me manda ir pastar? Que medos são estes que os pais têm? Ontem, o meu primo chegou a dizer que, quando chegasse a idade da filha entrar nestas andanças, ia tirar um curso de caçador, nem que tivesse que estudar um ano ou comprar a espingarda mais fraca da loja! Mas é preciso tanto? Há necessidade de ser assim, ainda que tenha dito aquilo por gozo? O que eu lhe disse foi que nada disso é preciso se ele conhecer a filha que tem.
E é mesmo nisso que eu acredito e em que espero acreditar quando for a minha vez de ser mãe e passar por isto. Crescer, namorar a brincar e depois mais a sério é normal, é sinal de desenvolvimento e maturidade. Se conhecermos quem temos em casa, se confiarmos e soubermos ensinar e educar, porque havemos de nos consumir? O meu pai sempre me ensinou e respondeu a todas as dúvidas sobre sexo. Um dia até lhe perguntei o que era um broche. Por estas palavras! E ele explicou-me o que era, sem rodeios nem hesitações. E agora ele é que se choca com o facto de eu namorar? Eu fiz sempre a minha parte e posso garantir que sou a filha que muitos pais gostavam de ter. E os filhos são como pássaros, sempre chega o dia em que querem voar e sair do ninho. Para já, eu só quero voar, mas espero que não me queiram cortar as asas.

7 comentários:

Janny disse...

o meu pai também é um bocadinho assim, sou a menina do papá!

Janny disse...

o meu pai também é um bocadinho assim, acha que eu serei sempre uma criança...

Janny disse...

o meu pai também é um bocadinho assim, acha que eu serei sempre uma criança...

Layanne Eduarda disse...

Assuntos de família sempre são complicados. Pareces um pouco comigo com a diferença de que não convivo com meu pai desde pequena. Mas tenho uma mãe que é mãe rigorosa e ao mesmo tempo, um pai daqueles. E sempre que saio também dou satisfações, a ela e ponto.
Meu primeiro namorado tive com 17 anos, não deu certo e colocamos ponto final. Todos os pais são assim, cuidados em excesso e as vezes nem percebem. Eu pretendo quando ser mãe, não ser claro, liberal, mas tentar ser além de mãe, a principal amiga dos meus filhos. Conversarei sobre coisas abertamente na hora em que for necessária.

"Todo pássaro precisa voar, há quem lhes tirem suas asas, há quem os prendam. Mas ele dentro de si ainda é um pássaro."

:)

Layanne Eduarda disse...

Esqueci de comentar que gosto do nome do "plog". :D

Jude disse...

Acho que essa é a conversa normal dos pais.. Não significa que digam isso a sério ou que pensem algo de errado da pessoa com quem as filhas namoram. É como os homens que lançam sempre os mesmos comentários sobre mulheres. Os pais fazem isso com as filhas, não tens de te preocupar! E quanto ao teu primo, acredito que também fala por falar! Quando chegar a essa altura vai ver as coisas de outra forma!

Buu disse...

Acho que esses comentários se prendem com o facto de eles já terem sido novos e saberem como a mente dos rapazes com essa idade funciona! Mesmo assim, acho que é mais para assustar, para mostrar quem é o 'macho', enfim, para no mínimo, dizerem que ainda ali estão.